Sobre o JA.CA

SEDEexterna01

O JA.CA – Centro de Arte e Tecnologia é um grupo de pessoas que mantém um espaço de experimentação no campo das Artes em interação com a Arquitetura, Urbanismo e Design, realizando pesquisas a partir do território do Jardim Canadá com o envolvimento da comunidade local, artistas e outras iniciativas e organizações.

Como um espaço autônomo de arte, o JA.CA deseja criar, realizar e apoiar projetos que aproximem a arte da vida das pessoas, por meio da ampliação da reflexão sobre os processos artísticos, da realização de ações e intervenções voltadas aos contextos locais nos quais se insere e da atuação em rede.

As atividades desenvolvidas pelo JA.CA são abertas ao público e, como uma organização sem fins lucrativos, a administração dos recursos financeiros é orientada pela transparência e uso consciente, sem desperdícios.

Desde 2010, o JA.CA tem realizado pesquisas a partir do território do Jardim Canadá que envolvem a comunidade local, artistas e outras iniciativas e organizações.

Atualmente, as atividades desenvolvidas pelo JA.CA estão organizadas em três linhas de ações:

1 – Programa de RESIDÊNCIAS Artísticas/ ATELIÊ NO PRÉDIO: apoio à pesquisa e à produção de artistas brasileiros e estrangeiros que residem no espaço do JA.CA para desenvolverem pesquisas e ações colaborativas e públicas voltadas ao contexto local. Nos últimos 5 anos o JA.CA recebeu mais de 40 artistas para residências de 02 meses, escolhidos por editais públicos, oferecendo passagem aérea, ajuda de custo e verba de produção. O JA.CA propõe, em colaboração com a Revista Ernesto, 12 ateliês no centro de Belo Horizonte alugados por preços subsidiados, beneficiando mais de 30 artistas locais, além de ofertar diversos cursos e oferecer programações no local.

2 – PESQUISAS e EXPERIMENTAÇÕES em Artes, Arquitetura, Urbanismo e Design: como coletivo artístico, o JA.CA realiza projetos próprios de investigação e experimentação em temas de seu interesse, como o reaproveitamento de resíduos em técnicas construtivas e a gestão de espaços culturais independentes. O coletivo reformou, com participação das crianças da escola, a praça vizinha; construiu também a sua própria sede, sobre um par de lotes alugados, tentando driblar a especulação imobiliária que dominou o cenário do bairro por anos.

3 – Prestações de SERVIÇOS em Produção Artística e em Projetos Expositivos e de Mobiliário: concepção e realização de projetos expositivos e de mobiliário, agenciamento de artistas, produção e montagem de exposições, mostras, workshops e seminários.

A produção e veiculação de produtos – como catálogos anuais, publicações e vídeos documentários – que possibilitem a ampliação do acesso à metodologia e à pesquisa exploratória desenvolvida pelo JA.CA, seus associados e colaboradores é uma constante nos projetos e se firma como uma ação complementar aos programas principais. Todas as publicações estão disponibilizadas para acesso gratuito AQUI no site, assim como os registros de todas as ações e projetos realizados pela iniciativa.


JA.CA – Centro de Arte e Tecnologia is a group of people who maintain an experimental space in the field of Arts in interaction with Architecture, Urban Planning and Design, conducting studies based in the area of Jardim Canadá which involve the local community, artists and other initiatives and organizations.

As an autonomous art space, JA.CA has the aim of creating, executing and supporting projects that bring art into people’s lives by increasing reflection on the art processes, performing actions and interventions directed at the local settings in which they are inserted and engaging in networks.

All the activities developed by JA.CA are open to the public, and as a not-for-profit organization, the administration of financial resources is based on transparency and conscientious use, without waste.

JA.CA aims to create, develop and support projects that bring culture closer to people’s lives by increasing reflection on the art processes, performing actions and interventions directed at the local settings in which they are inserted and by engaging in networks.

Since 2010, JA.CA has conducted studies from the Jardim Canadá area, involving the local community, artists and other initiatives and organizations.

The activities currently developed by JA.CA are organized into three lines of action:

1 – International Artist-in-Residence Program/Atelier in the Building: support for the research and production of Brazilian and foreign artists who reside in the JA.CA space to develop their collaborative and public works and studies aimed at the local context. Over the past 5 years, JA.CA has received more than 40 artists for 2-month residencies, selected by a public selection process, including the provision

  of air travel to the venue, help with expenses and production funds. JA.CA manages, in collaboration with Revista Ernesto, 12 ateliers in downtown Belo Horizonte, rented at subsidized prices, benefitting more than 30 local artists, as well as offering several on-site courses and schedules of events.

2 – Research and Experimentation in Art, Architecture, Urban Planning and Design: as an artistic collective, JA.CA conducts its own investigation and experimentation projects on themes of interest, such as constructive methods of recycling waste and the management of independent cultural spaces. The collective refurbished, with the participation of local school children, the neighboring square, and also built its own headquarters on two leased plots of land, in an attempt to evade the real estate speculation that dominated the neighborhood for years.

3 – Service Provision in Art Production and Exhibition and Furniture Projects: design and execution of exhibition and furniture projects, artist agency, production and assembly of exhibitions, shows, workshops and seminars.

The production and communication of products – such as annual catalogs, publications and documentary videos – which support broadened access to the methodology and exploratory research developed by JA.CA, its partners and associates pervades all our projects and is consolidated as a complementary action to the main programs. All publications are made available for free access here on our site, as well as records of all the actions and projects carried out by the initiative.


O JA.CA iniciou-se em 2008, ainda como uma articulação incubadora, através de pesquisas de experiências semelhantes, centros de produções artísticas internacionais e estratégias de adequações ao contexto particular onde nos instalaríamos. A escolha do bairro Jardim Canadá, em Nova Lima, Região Metropolitana de Belo Horizonte, para sediar o projeto não foi nada aleatória, permeava questões afetivas dos fundadores do Centro, mas primariamente, aproveitava-se da intensa transformação urbana em que se encontrava o bairro para criação de um laboratório expandido de experimentações nas fronteiras entre a arte, o design e a arquitetura.

No ano de 2010, ocupamos um galpão de 847m2, em uma larga avenida de terra vermelha, em uma região do bairro ainda não asfaltada. Iniciamos atividades com o lançamento do Programa de Residência, tanto para artistas brasileiros quanto internacionais. O desejo inicial, ao instalar-nos em área de tantas complexidades era desenvolver um ambiente propício à criação, a uma plataforma de promoção das práticas colaborativas e interdisciplinares, que contribuísse para a formação de estudantes, artistas e que se tornasse um espaço artístico-cultural integrado ao cotidiano da comunidade onde atuamos, promovendo uma prática artística que agisse como um instrumento de intervenção para o desenvolvimento de pessoas, comunidades e territórios.

Nestes cinco anos de existência, o JA.CA acolheu cerca de 60 artistas. O Centro priorizou apoiar projetos que apontaram relações com o entorno, com a arquitetura e com a comunidade, assim como práticas artísticas que se mostraram mais suscetíveis a possíveis colaborações originadas no processo de compartilhamento de um espaço comum de trabalho.

O projeto inicial de Residência nos possibilitou acessar informações do bairro de uma maneira intensa, porém orgânica, através da vivência ordinária, da experiência do dia a dia compartilhada, do estabelecimento real de uma relação de vizinhança. A tarefa de infiltrar-se na vida das pessoas do lugar resultou muito mais árdua, o bairro ainda carece de identidade própria e a precariedade urbana parece chegar às relações pessoais, já que a população habita o local de uma maneira transitória e improvisada, como se buscassem, constantemente, maneiras de deixar o bairro. Esta falta de organização comunitária, somado à dimensão espacial do bairro que abriga realidades tão díspares, fez com que os laços estabelecidos com as pessoas fossem frágeis e tênues. Ainda assim, foram diversos os artistas que viveram o Jardim Canadá, que encontraram inspirações e que desenvolveram ferramentas para ocupar e estabelecer diálogos com os moradores do bairro.

Partindo das primeiras observações da dinâmica do território, iniciamos, junto à Escola de Arquitetura da Universidade Federal de Minas Gerais, uma investigação mais focada, através de mapeamentos específicos. Um dado que nos pareceu interessante foi a questão do lixo gerado no bairro – principalmente pelas micro indústrias locais e mineradoras – que pode ser considerado ao mesmo tempo um problema como um potencial, devido a sua possibilidade de reciclagem, como os resíduos de madeira. Em 2011, a parceria entre o JA.CA e a UFMG se solidifica através do programa de extensão DESEJA.CA – Desenvolvimento Sustentável e Empreendedorismo Social no Jardim Canadá. Durante a parceria vivemos um processo intenso de produção e pesquisas, com diversos mapeamentos do bairro, participação crescente dos bolsistas e maior densidade das propostas, projetos.

No ano de 2012, já mais próximos da realidade e das pessoas do Jardim Canadá, presenciamos a transformação contínua do bairro; novos complexos de lojas, construção de nova escola municipal e posto de saúde. Acompanhamos o longo processo de asfaltamento da Avenida Canadá, onde se localizava nossa primeira sede, e observávamos de perto o superaquecimento do mercado imobiliário. Em Novembro de 2012 deixamos o nosso primeiro galpão, impossibilitados de renegociar um novo contrato de aluguel. Nada disso veio como surpresa, prevíamos estes acontecimentos recentes quando escolhemos o lugar como laboratório de ocupação. Estávamos cientes do processo de valorização imobiliária, sabíamos também que a própria ocupação por artistas e a existência de aparelhos culturais poderiam vir a contribuir para a aceleração do desenvolvimento do bairro seguindo a lógica do capital.

Em abril de 2013 o JA.CA atravessou a rua e se instalou em frente ao antigo galpão, de onde se podia observar as placas de “vende-se” e “aluga-se” que se amontoaram sobre sua fachada por anos. No mesmo ano passamos a integrar a rede PDEOS (Programa de Desenvolvimento de Empresas e Organizações Sociais) promovido pela Fundação Dom Cabral. Sob sua orientação, formulamos nossa missão, que sintetiza o sentido da existência do JA.CA e norteia nossas proposições.

No desejo de fortalecer e dar espaço a novos arranjos para produção artística que se estabeleciam de forma espontânea e organizada por artistas e pesquisadores, entre os anos 2011 e 2014 em Minas Gerais a Fundação Clóvis Salgado abrigou dois programas de residência artística no espaço do Centro de Arte Contemporânea e Fotografia. À Fundação, coube a cessão do espaço para o atelier da residência e local para os debates, o espaço para exposição ou compartilhamento de processos, a participação na seleção dos residentes, o acompanhamento das atividades, a divulgação conjunta com os parceiros e a parceria na captação de recursos para os projetos. Realizando um programa de residência artística, o JA.CA ocupou o terceiro piso do edifício localizado no hipercentro de Belo Horizonte durante o ano de 2014, contando com acompanhamento crítico por convidados e realização de mostras: JA.CA Praça 7.

Durante o mesmo ano, duas outras residências de artistas convidados com foco na mobilidade foram realizadas no Jardim Canadá. A temática se fez essencial pois contribuiria para o novo projeto idealizado por nós uma vez que já prevíamos aumentos de aluguel, fruto do processo crescente de urbanização e valorização do bairro. Os experimentos colaboraram para o projeto da nova sede do Centro, móvel, e ainda em construção, que ocupamos desde o início de 2015. Distribuída em seis conteiners, se configura como uma arquitetura autônoma, menos vulnerável a especulação e inconstância do mercado imobiliário, o que contribui imensamente para garantia e continuidade Centro.


Jardim Canadá
Centro de Arte e Tecnologia

Rua Vitória, 886

34000-000 . Nova Lima . MG

+55 31 3097 2322

info@jaca.center