Exposição “Trópico” – RODRIGO BORGES

Exposição “Trópico” – RODRIGO BORGES


Rodrigo Borges [1974] é artista e professor da EBA-UFMG. Sua pesquisa plástica, nos campos do desenho e da instalação, têm como premissa o exercício de uma geometria que, em sua frágil rigidez, pretende revelar um ambiente e envolver corpos.


SEMINÁRIO 09.05.2017

Em 1978, o crítico de arte Roberto Pontual coloca em diálogo a reprodução de um desenho do Alto Xingu e de um guache de Hélio Oiticica. Quarenta anos depois, é possível reativar essa análise comparativa?

Foi a partir dessa provocação e de outras que guiam o projeto Trópico, que se deu a conversa entre Armando Queiroz e Francisco Magalhães, sob a mediação de Stephane Huchet.




A exposição “Trópico” configura-se como uma tomada de consciência de uma prática artística fluída e hesitante, em perpétuo processo de transformar-se, mostrar-se e metamorfosear-se em outra coisa. A etimologia da palavra trópico, do grego trópikos, não tem o sentido moderno de localização geográfica, que define a região do globo localizada entre o trópico de câncer e o trópico de capricórnio. Trópico, deriva da palavra ‘tropé’ – “volta, virada, volta em torno de, mudança”. O sentido da exposição, encontra-se assim, menos na determinação de um lugar pela arte, e mais na experiência ou vivência de um acontecimento provocador de mudanças, voltas e reviravoltas. Durante as semanas, a exposição “Trópico” estará em um processo contínuo de transformação, com a adição e subtração de elementos, reflexo de um pensamento onde continuar a fazer e repetir procedimentos, significa produzir uma (re)volta.


Jardim Canadá
Centro de Arte e Tecnologia

Rua Vitória, 886

34000-000 . Nova Lima . MG

+55 31 3097 2322

info@jaca.center